Bruno Yoshimura, co-fundador do Kekanto.com
 » Siga-me no Twitter: @brunoyoshimura e no Linkedin
 » Leia sobre aluguel de ações: clique aqui

Investidores de longo prazo não deveriam se contentar apenas com os dividendos distribuídos pelas empresas. Existe uma forma pouco conhecida, mas eficiente, de aumentar a rentabilidade em uma carteira de longo prazo: o aluguel de ações. Assim como imóveis, você pode alugar suas ações para outras pessoas, garantindo uma renda extra enquanto não precisa vendê-las.

O contrato de aluguel é acertado entre o doador (proprietário das ações) e o tomador (normalmente é um especulador de curto prazo apostando na baixa das ações). As taxas médias de aluguel costumam variar entre 0,5% e 6% ao ano.

Benefícios: A definição das condições do aluguel são definidas pelo proprietário: o prazo de aluguel geralmente é para 30 ou 60 dias e a taxa deve ser escolhida próxima a a média desta tabela da CBLC. A distribuição de juros sobre capital próprio ou dividendo no período do aluguel pertence ao proprietário e o pagamento do aluguel é feito no primeiro dia útil após a finalização do contrato, quando o tomador devolve as ações.

Riscos: O principal risco para o investidor é que, enquanto estão alugadas, as ações não podem ser vendidas. Isto pode ser ruim caso as ações subam demais e você queira realizar o lucro ou caiam demais e você queira limitar o prejuízo. Além disso, existe um risco mínimo do tomador não devolver suas ações. Este fator é evitado, pois a CBLC é intermediadora deste tipo de operação e requer  garantias de 100% mais uma margem de segurança. Esta garantia pode ser um depósito em dinheiro ou títulos.

Taxas médias de aluguel da CBLC (Março/2008)

Empresa
Código
Taxa
AES Tiete
GETI4
2,18%
Aracruz
ARCZ6
14,51%
Banestes
BEES3
29,99%
Bicbanco
BICB4
7,22%
BMF Bovespa
BMVF3
1,27%
Bradesco
BBDC4
0,31%
CPFL Energia
CPFE3
4,07%
Gerdau
GGBR4
0,68%
Hypermarcas
HYPE3
6,23%
Itausa
ITSA4
0,52%
Lojas Americanas
LAME4
2,80%
Marfrig
MRFG3
14,75%
Minerva
BEEF3
6,25%
Petrobras
PETR4
0,35%
PIBB
PIBB11
3,72%
Positivo
POSI3
7,75%
Sadia
SDIA4
12,00%
Telesp
TLPP4
6,38%
Usiminas
USIM5
0,67%
Vale
VALE5
0,42%
VCP
VPCA4
6,69%
Veja as taxas médias de todas as empresas.

Quais ações alugar, com qual taxa e prazo?

Em geral, existe muita oferta de doador das blue chips. Por este motivo, a taxa de aluguel para este tipo de ação costuma ficar abaixo de 1% a.a. As ações menos líquidas sempre tem taxas melhores, frequentemente superiores a 4% a.a. Empresas que estão passando por dificuldades financeiras ou estão em declínio também costumam apresentar taxas mais atrativas.

Por enquanto estou alugando apenas as menos líquidas, pois não acho que vale a pena receber 0,38% a.a. no aluguel da Petrobrás, por exemplo.

Definindo a taxa: No site da CBLC você pode ver as taxas médias do último mês e ter uma idéia de quanto cobrar. Em geral, eu ofereço um taxa mais atrativa do que a média para conseguir alugar rapidamente e fixo o prazo para 30 ou 60 dias.

No site da Infomoney eu acompanho o sistema de notícias do BTC para ver o “book “ de oferta de doadores. Para conseguir alugar rapidamente, coloque uma taxa abaixo da melhor oferta. É importante notar que o book de ofertas não funciona igual o mercado de ações: o tomador escolhe qualquer oferta, não importando sua ordem na lista.

Como alugar ações?

Para alugar as ações, basta ligar para sua corretora e informar o papel, a quantidade, o prazo e a taxa desejada. Algumas corretoras têm volume mínimo para aluguel e geralmente cobram comissão percentual sobre ele.

Caso seu aluguel não seja concretizado, ele aparecerá no book do BTC em espera. Quando o aluguel for realizado, você receberá uma carta da CBLC com a confirmação.

Quem vai alugar minhas ações?

Geralmente os tomadores de aluguel são especuladores que estão apostando na queda da ação. No jargão do mercado, dizemos que é a “operação vendida”, veja abaixo como ela funciona.

etapas aluguel ação

Para os investidores de longo prazo que não especulam (Buy and Holders), a oscilação de curto prazo das ações não são importantes. Não sabemos se o especulador terá sucesso nesta operação, mas temos certeza do nosso lucro do aluguel. Em qualquer operação vendida, o especulador “já começa” com prejuízo, pois o lucro (quando houver) precisa compensar a corretagem de compra, de venda e aluguel.

Agora que você já conhece a operação, deveria considerar as taxas de aluguel como um parâmetro extra na garimpagem por boas empresas. Um bom exemplo é a CPFL, que paga 10% de dividendos anuais. Adicione a taxa de 4% a.a. no aluguel e você tem uma rentabilidade superior à Selic.

Posts Relacionados

  • Sem posts relacionados